Patrimonialismo em Vicente Pires

Você já ouviu falar em patrimonialismo? Pois bem, em resumo, patrimonialismo é a apropriação do público pelo privado. Analisando o conceito na administração pública, isso significa que não há distinção entre o que é gasto com demandas do interesse público e o que é gasto com demandas que são de cunho privado – o que ocorre, não raro, de maneira intencional. Foi uma prática comum durante a Idade Moderna (1453 – 1789), mas é duramente combatida até nas monarquias remanescentes, como as da Europa e em outros locais com regime democrático. Portanto, há uma sobreposição, uma mistura, grosso modo, entre o que interessa à população e ao indivíduo. Obviamente este indivíduo está numa posição de representação pública, de destaque, seja um deputado, um governador, um presidente, um juiz ou até um administrador regional. Vejamos o caso de Vicente Pires, região administrativa do Distrito Federal.

O cargo de administrador regional é de livre escolha do governador, o que torna os administradores verdadeiros servidores biônicos, puxa-saco de quem quer que seja a o Executivo local. Enquanto isso, pavimenta a construção de sua candidatura a deputado distrital, muitas vezes utilizando indevidamente a exposição na mídia e recursos públicos para colocar a agenda pessoal à frente das obrigações do cargo. De posse desse pequeno histórico do patrimonialismo, vamos conhecer o caso de Daniel de Castro Sousa, administrador de Vicente Pires. A Assessoria de Comunicação (Ascom) do bairro é tão ruim que revela muitas coisas para além do patrimonialismo.

No Facebook, a última publicação da página oficial da Administração (https://www.facebook.com/adm.vicentepiresoficial) é de 27/04/2020, uma operação tapa buracos. Observando o perfil, nada aconteceu em Vicente Pires depois disso. A página também mostra um e-mail de contato (shvicentepires@gmail.com), ou seja, com domínio não institucional.

Caso queira se comunicar com um e-mail institucional de Vicente Pires, você pode encontrá-lo no site da Região Administrativa, na parte “Fale com a RA (http://www.vicentepires.df.gov.br/category/sobre-a-ra/fale-com-a-ra/). Lá, a intenção de colocar dados institucionais era tanta que chegaram a colocar duas vezes, um “cartão” duplicado de Alessandro Gomes de Araújo, Chefe da Assessoria de Comunicação. Nas faculdades de comunicação social utiliza-se um termo em inglês para eventos do tipo: “sausage filling”. Assim, o “Fale com a RA” poderia ser mudado tranquilamente para “Fale com Alessandro Araújo”, sem prejuízo semântico – embora não possamos dizer o mesmo em relação à administração pública:

Bem, como é nitidamente visível, o contato com a Administração de Vicente Pires dá-se por um e-mail institucional com o nome do Chefe da Ascom. Caso ele venha a mudar sua lotação ou seja desligado do serviço público, algo comum quando uma Administração Regional tem como administrador alguém que o “título” de pastor precede o nome. Mas para quê memória institucional não é mesmo? Quem quiser saber qual é o e-mail atual para contato com a administração, que acesse a página e veja quem é o chefe da Ascom. Nada de cadastrar e-mails institucionais das administrações regionais no Outlook, isso é para metidos a hacker.

O perfil do Instagram da Administração de Vicente Pires (https://www.instagram.com/adm.vicentepiresoficial/) é o book de 15 anos que Daniel de Castro nunca teve. Nem Narciso na Grécia antiga, que deu nome ao termo narcisismo, tão comum em época de selfies, imaginaria um espelho tão fiel como é o Instagram de Vicente Pires para o pastor. Bem, para dar uma variada, o Instagram de vicente Pires também comenta perfis de humor, como é o caso de @taguadadepre (Taguatinga da Depressão). Tempo não falta para a equipe da Ascom se passar por defensora do bairro enquanto é paga com dinheiro público:

Os comentários no perfil são os mais hilários possíveis. A única explicação cabível seria o perfil @taguadadepre pertencer à alguém da Ascom de Vicente Pires, pois não houve defesa alguma do bairro e os internautas não economizaram em risadas e descrédito nos comentários da publicação, promovendo o perfil de humor. Mas calma que o melhor está por vir: o perfil da Administração de Vicente Pires no Instagram cita o nome do administrador – o que não é nenhum problema – mas coloca em seguida o Instagram de Daniel de Castro que, ao que tudo indica, é pessoal!

A utilização do banner Administração Regional de Vicente Pires nas publicações, de forma maior, centralizada e abaixo dos cards, ocorre a partir do dia 26/03/2020 em ambos os perfis, Daniel de Castro (https://www.instagram.com/p/B-NT86phi6u/) e Adm. de Vicente Pires (https://www.instagram.com/p/B-NURPRjlmI/). Pouco tempo depois o mesmo banner é estendido a toda faixa de baixo dos cards, também na mesma data. Tudo leva a crer que as contas são associadas, uma vez que as publicações são praticamente as mesmas. A diferença está em poucas publicações, como as datas comemorativas. O perfil de Daniel de Castro faz propaganda (agora sem dúvidas) de seu site pessoal (www.pastordanieldecastro.com.br). Ao acessar o site WordPress. não há conteúdo, somente um banner com uma foto de Daniel, como não poderia deixar de ser, e a hashtag piegas escrito #vicentepireseuacredito. Nem uma foto do guarda-roupas do Sidney Magal seria tão cafona.

um bônus: embora suplente, Daniel de Castro se apresenta em suas redes sociais como deputado distrital. contudo, como alguém pode representar os poderes Legislativo e Executivo ao mesmo tempo, sendo deputado distrital e administrador regional? Aliás, o site da Câmara Legislativa do Distrito Federal (http://cl.df.gov.br/deputados-2019-2022) não traz Daniel de Castro como um dos representante da atual legislatura.

Diante de tudo isso, resta saber se a equipe que é paga por dinheiro público para administrar as redes sociais da Administração de Vicente Pires, administram também as redes sociais de Daniel de Castro, vejam bem, de Daniel de Castro e não do Administrador. A sinuca de bico é a seguinte: se o perfil Daniel de Castro no Instagram é pessoal, então Daniel ou alguém para quem ele pague para gerenciar seu perfil publica quase sempre no mesmo horário que o perfil da Administração de Vicente Pires. Caso o perfil Daniel de Castro seja institucional (administrador), então Daniel de Castro deve explicar por que não faz referência explícita à esse “detalhe” na rede social e por que ele utiliza o perfil para mensagens que não são de interesse público.

Ai, ai, um Estado pra chamar de seu. E ainda tem gente que diz que não há política no Instagram.

Sobre ayanrafael

Pedagogo, Assistente Social e Mestre em Educação pela Universidade de Brasília. Trabalhou como técnico-administrativo na Universidade de Brasília, como Professor de Atividades da SEEDF (Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal) e atualmente é Especialista Socioeducativo - Pedagogo na Secretaria de Estado de Justiça e Cidadania do Distrito Federal, lotado na Secretaria Executiva do Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente (CDCA/DF).
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s